Tira primeiro a trave do teu olho

Padre Paulo Dionê iniciou sua homilia agradecendo a todos os servos, que ao longo dos anos, se colocam à disposição do Espírito Santo para fazer com que o Seara seja realizado. Segundo ele, neste ano, temos a graça da realização do evento em formato híbrido, possibilitando que as pessoas experimentem a graça presencialmente no Colégio Equipe e, também, online pelo canal do Seara no Youtube.

Padre Paulo destacou ainda que muitas vezes pensamos que a nossa oferta é pouca, porém, Deus usa de nossa pequenez e faz grandes obras. Somos chamados a ter solicitude com o próximo.

“Por que vês o cisco no olho do teu irmão, e não percebes a trave que há no teu próprio olho? Como podes dizer a teu irmão: irmão, deixa-me tirar o cisco do teu olho, quando tu não vês a trave no teu próprio olho? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás enxergar bem para tirar o cisco do olho do teu irmão”.

Ao partilhar sobre o Evangelho de São Lucas 6,39-45, Padre Paulo usou de uma alegoria para exemplificar a importância de termos um olhar de amor para o próximo. Segundo ele, devemos agir como quem ensina, explica e corrige fraternalmente o próximo.

A alegoria utilizada pelo sacerdote se refere a uma pessoa que possui duas mochilas: uma nas costas e outra em seu peito. A mochila nas costas carrega todos os defeitos, falhas e pecados cometidos pela pessoa. Já a outra mochila, conta com todas as qualidades, dons e obras boas realizadas.

No exemplo, todas as pessoas possuem as duas mochilas e caminham em fila indiana. Sendo que a pessoa dá frente tem seus defeitos vistos por quem vem atrás, assim sucessivamente.

O convite feito pela alegoria é para que as pessoas troquem a posição das duas mochilas, para que os dons e qualidades sejam vistos pelos outro. Será possível que a pessoa também reconheça que não é somente ela a realizadora de obras boas.

Ao estar com a mochila de defeitos no peito será possível que a pessoa tome consciência de suas ações e busque a correção de seus atos. Para que esta ação ocorra é necessário pedir sempre: “Jesus, manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao vosso”.

Comentários no Facebook