Resgate a imagem e semelhança com Deus

Nesse segundo dia de Seara, somos levados a nos deparar com a presença de Deus, somos levados a louvar o poder de Deus, e nos reconhecer como filhos amados e queridos. Deus deseja derramar sua graça em nossas vidas.
Na segunda pregação da manhã, Paulo Henrique, Jacozinho, fez a reflexão de Gn 1, 26 e 27, onde nos chama a refletir nosso lugar, não como um pecador, mas como seu filho, feito a imagem e semelhança do Pai.
Jacozinho nos chama a atenção para que possamos fugir do lugar que o demônio tem nos colocado, onde somos rotulados, machucados, somos usados e depois descartados como lixo. Em contrapartida, enquanto o pecado tira a nossa serenidade, Deus nos chama, pois somente quando voltamos para a graça podemos recuperar o brilho da imagem e semelhança de Deus em nós.
O pecado é uma barreira que nos impede de viver a plenitude de Deus, precisamos romper com essas amarras, pois somente assim seremos livres, somente assim somos transformados, o pecado impede que o amor de Deus se manifeste no mundo. O pecado, como Jacozinho nos fez refletir, é como um grande guarda-chuva, que nós abrimos e nos escondemos da chuva que representa a graça de Deus, não permitimos que Ele nos alcance. Por isso, é preciso romper com o pecado, buscar a confissão, devemos fechar o guarda-chuva, para que a graça que é derramada, chegue em nós, e nos preencha.
Para sairmos do pecado precisamos reconhecer que não é possível sair do pecado com nossas próprias forças, só piora nossa situação. Nos faz afundar, porém, mais forte do que o inimigo, é Deus.
Nossa alma espera a graça de Deus, quando a gente larga a mão de Deus, nós pegamos a mão do satanás, e isso nos leva ao pecado, ao desespero, e somos mais ainda chamados a nos aproximar de Deus, e assim não mais cairemos no pecado. O que Deus tem que fazer, que faça Deus, mas o que nós precisamos fazer, devemos fazer, nos arrepender, mas nunca tentar nos justificar, devemos tirar nosso olhar do pecado.
Reconhecer nossos pecados e correr para ao encontro de Jesus, como a pecadora que corre para se colocar nos pés de Jesus e lavá-los com suas lágrimas. Somente com Deus nós nos levantamos, somente ele irá nos dizer: “Tua fé te salvou; vai em paz” (Lc 7, 50).
Dessa forma, nessa segunda pregação da manhã, Jesus deseja nos fazer uma proposta de vida e santidade, que corramos para o confessionário, pois a confissão é o remédio da alma, quando a gente confessa, a graça de Deus acontece, mas precisamos ir diante de Jesus na figura do Sacerdote, e assim, quando Jesus for o alvo da nossa vida, o pecado não vai subsistir. Devemos lembrar que somos chamados à santidade, e que mesmo pecando precisamos cair e levantar, sermos perseverantes para cumprir o chamado de Jesus: “Sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5, 48).
O pecado, quando renunciado, cede o lugar para a graça de Deus, e a confissão nos limpa, cura e nos dá forças de caminhar até o céu.

Comentários no Facebook