“Redobrai o vosso vigor” (cf. Is 40,29)

Para sempre seja louvado, ontem, hoje e amanhã. Sempre é sempre. Na alegria, tristeza, abundância e tribulação.” Assim o Paulo iniciou sua pregação nesta manhã, nos afirmando que Deus tem muito a fazer em nossa vida. Que muitos se encontram prostrados e que Deus não nos quer assim. O Senhor quer nos levantar, nos colocar de pé!

Partilhou conosco a passagem de Isa 35, 1-4, explicando que o deserto é provação, um lugar difícil. Disse que muitas vezes nos encontramos assim e temos que lutar para sobreviver. E nos exortou: Se estamos assim, bendito seja Deus, pois Ele está conosco! “Alegra-te na tribulação, no sofrimento, em cada provação. Porque a mão poderosa de Deus vem em seu socorro”. Nós e aqueles que nos rodeiam, veremos a mão poderosa de Deus agir. O Senhor tomou a decisão de vir em nosso socorro.

Paulo nos contou que enquanto preparava essa pregação o Senhor o fazia pensar sobre essa realidade e então imaginou um campo florido. Se uma nova flor brotar, não conseguiremos ver, pois está todo florido. No entanto, no deserto, se nascer uma flor conseguiremos perceber. Na nossa vida, se estamos no deserto, conseguimos enxergar a mão poderosa de Deus agindo.

Ele também nos levou a refletir sobre o fato de que, se nós estamos prostrados, um irmão pode nos ajudar a levantar, mas é pela ação de Deus. Se acreditamos no poder de Deus, vencemos, pela fé. Precisamos tomar posse da vitória de Deus em nossa vida.

Ao longo da pregação, Paulo nos comparou a um lutador profissional. Ele disse que numa luta, quando o lutador está perdendo, o técnico pode jogar a toalha, reconhecendo a derrota. Nos lembrou de quantas vezes nós queremos “jogar a toalha”, mas isso não cabe a nós! O nosso técnico é Deus e Ele nunca vai “jogar a toalha”. Deus não desiste de nós. Nele podemos vencer. “Se o ‘round’ da vitória ainda não chegou, não se desespere! A sua tribulação tem prazo de validade. Vai passar”, afirmou.

Continuou dizendo que Deus nos criou para a luta. Somos lutadores, guerreiros. Ressaltou que Deus não tira as nossas tribulações todas de uma vez, pois Ele quer que mantenhamos um espírito de luta, Ele nos quer de pé, lutando. Nos explicou que se ficarmos prostrados no chão é porque tomamos posse da derrota. Mas, se levantamos, continuamos na luta e vamos vencer. No ringue da nossa vida lutamos com Deus junto de nós! Se fizermos o que Ele nos pede, venceremos. Afirmou, mais uma vez, que Deus nos quer de pé. Que Ele nos ajuda a levantar, mas alertou sobre algo importantíssimo: se não quisermos levantar Deus não pode fazer nada. Nós precisamos querer. Nossa atitude faz diferença. Se não quisermos ficar de pé, já somos derrotados. Nos convidou a fazer um propósito: não vamos mais jogar a toalha! Somos lutadores do Senhor!

Já caminhando para terminar sua pregação, Paulo nos lembrou da passagem de Isa 40, 29-31, que nos garante que Deus dá força ao cansado. Não podemos colocar nossa esperança nas pessoas, mas no Senhor. Não devemos fugir das nossas lutas, mas enfrentar. Por que um atleta fica forte? Porque ele se exercita. Nossa perseverança nas lutas só se mantém quando nos colocamos de joelhos diante do nosso Deus. Prostrados diante de Deus, mas não prostrados diante das tribulações. Diante das tribulações precisamos estar de pé!

Por fim nos lembrou que a recompensa divina é a nossa vitória. Não importa o tamanho da dificuldade, o nosso Deus é maior que tudo. Sejamos fortes! E testemunhou que durante a preparação para o Seara 2020 foram várias as lutas e o Senhor foi dando as vitórias, uma a uma. Ele é fiel! Precisamos ter a certeza disso em nosso coração. Nos coloquemos de pé!

Karine K. Iria Luiz
Equipe de Mídias do Seara 2020

Comentários no Facebook