“E Ela escolheu a melhor parte” Suzane – RCC Viçosa

Quem pregou no início da tarde deste domingo de
Seara 2018 foi a Suzane que serve no grupo de oração Resgate, que acontece toda
quarta-feira às 19h30 na Capela da UFV. No começo da pregação, a Suzane nos
conta um pouco de seu testemunho de vida, revelando que Deus a libertou do medo
das pessoas e do encontro com elas. Logo após esse breve testemunho, ela
convida os presentes a ficarem de pé e inicia-se um momento de oração com a
música Queima de novo da Comunidade Católica Colo de Deus.

A pregadora usa a passagem que está em Lc 10, 38
que narra a visita de Jesus à casa de Marta e Maria. Antes de revelar a
passagem e já introduzindo o tema, Suzane diz que nós precisamos ser formados
por Jesus e que essa formação ocorre somente se estivermos de joelhos, fazendo
alusão à atitude de Maria que decidiu estar de joelhos diante de Deus e que
essa formação precisa da nossa atitude de abrir a porta, ou não. (Ap 3)
A Suzane começa a interpretar a palavra à luz
da atitude de Marta, mostrando que muitas vezes olhamos para a atitude dela
como se fosse errada, mas o gesto de Marta mostra como ela era hospitaleira,
acolhedora, porém, Marta que recepcionou, esqueceu-se de permanecer com Jesus e
essa atitude de ficar com Jesus foi cumprida por Maria. Maria ficou aos pés
Dele, porque era a oportunidade de ficar só com Deus e Suzane nos leva a
reflexão de que nada pode ficar à frente da presença de Jesus, que Ele precisa
ser o essencial em nossa vida.

Continuando sua pregação, ela utiliza a
passagem que está em Jo 12, onde Jesus vai jantar em Betânia e Marta estava
mais uma vez somente servindo. A pregadora nos mostra que mesmo vendo a gloria
de Deus, nós nos voltamos ao que é secundário e que, como a escolha de Maria, a
melhor parte é escolher a Cristo, escolher viver um Carnaval diferente.

Maria percebeu que na visita de Jesus não era a
hora de cuidar dos afazeres da casa, mas sim primeiro ficar aos pés de Dele.
Ele precisa ser a primeira escolha de vida e não a última.
“O serviço de Marta começou a ficar pesado
demais, mesmo servindo com amor. E porque isso aconteceu? Porque ela não voltou
o coração dela para Deus”. Suzane disse que não podemos esquecer da presença de
Jesus, que não sejamos profissionais de Deus, mas sim servos íntimos Dele.
Marta pede ajuda, como se fosse uma ordem ao
próprio Jesus, com o desejo de determinar o tempo, e a Suzane nos lembrou que
Deus tem tempo para tudo. Marta pede ajuda, pois achava que era amada pelo que
ela fazia, mas Jesus diz a ela “Marta, Marta, andas muito inquieta e te
preocupas com muitas coisas” Lc 2, 41, do contrário, Maria sabia que era amada
pelo que ela era.

Muitas vezes perdemos o foco, a ocupação não
preenche o nosso coração e somente quem preenche esse vazio é Deus, é Ele que
nos atraiu aqui, para que confiemos na providência Dele.

Já terminando a pregação, ela conta um
testemunho sobre um convite feito por um amigo pra ir a Roma no Jubileu de Ouro
da RCC, mas que ela estava desempregada e disse que não podia. Como Marta, ela
não consultou Jesus e o amigo dela disse que ela fizesse por onde. Suzane, mesmo
não sabendo o que fazer, começou a orar. Logo, ela começou a pedir ajuda, a
fazer eventos e rifas e então, pela ajuda dos irmãos, ela conseguiu o dinheiro
para ir. Contou como foi a viagem e tudo aquilo que experimentou.

Por fim, diante do que ela partilhou, disse que
quando nós damos o sim para Deus, nada nos falta e que assim que retornou da
viagem, conseguiu o emprego. Como última palavra, diz aos presentes que a melhor
parte que não será tirada é a experiência profunda com o Cristo, como a experiência
de Maria aos pés de Jesus.
Por: Leonardo Moreira – Equipe de Mídias

Comentários no Facebook